top of page
  • Foto do escritorRAFAEL NEGREIROS

Fez FIV, como saber se está grávida?

Atualizado: 11 de jul. de 2022

Tanto para quem fez tratamento para engravidar por FIV (Fertilização In Vitro), assim como na gravidez natural, o que indica a gravidez é a dosagem do hormônio B-hCG (Gonadotrofina Coriônica Humana) no sangue ou na urina.



Na gestação natural, já no primeiro dia de atraso da menstruação, o hormônio pode ser detectado tanto na urina quanto no sangue da futura mamãe.

Quando a mulher recorre a tratamentos de Reprodução humana , sugerimos que realize o teste de sangue B-hCG quantitativo por ser mais confiável que o exame de urina.



Exame de sangue é mais seguro para detectar a gravidez


Este é mais preciso e detecta a implantação antes do teste de urina, exibindo um valor em números que nos permite realmente identificar (ou não) o esperado positivo.


FIV e as temidas “duas semanas”

O valor mágico da maioria dos laboratórios é acima de 5 mUI/ml, porém a variação é enorme e depende do intervalo de tempo entre o início de implantação do embrião no endométrio até a realização do exame.

Quanto maior for este intervalo, maior será o nível de B-hCG detectado.

O famoso período de “duas semanas”, como é chamado entre as “ tentantes”, causa muita expectativa e ansiedade.

É, por isso, muito comum a realização de exame de urina em casa para saber se está grávida antes do exame de sangue ser realizado no laboratório.



Importante ressaltar, entretanto, que esta atitude pode trazer ainda mais ansiedade e nervosismo, pois muitas vezes o exame de urina dá negativo pelo simples fato de ser um exame com menos sensibilidade que o de sangue e de ter sido feito com muita precocidade.

O teste feito em casa pode resultar em

falso positivo


Portanto, um exame de urina realizado muito cedo com resultado negativo não necessariamente determina que não haja gravidez.


FIV + espera pelo resultado = muita ansiedade

O tempo para a realização do exame de sangue para gravidez após um tratamento de Fertilização In Vitro pode variar conforme o estágio em que o embrião foi transferido para o útero:

  • Se for transferido embrião a fresco (no mesmo ciclo em que a estimulação ovariana ocorreu) no terceiro dia de desenvolvimento, o teste deve ser realizado 14 dias após a coleta de óvulos.

  • Entretanto, se for um embrião no estágio de blastocisto (quinto dia de vida do embrião), este exame pode ser realizado a partir do décimo segundo dia após a transferência.

  • Em transferências de embrião descongelado, a regra é a mesma utilizada para o embrião a fresco.

Muitos questionam o motivo desta espera, uma vez que transferimos os embriões já prontos.

Indagações como “Por que aguardar tanto tempo?” e reclamações como “Esta é a pior fase do tratamento…!” são muito comuns de serem escutadas por quem trabalha com reprodução humana.

Pois bem, a resposta é simples: Assim que é feita a transferência, o embrião vai aderir ao endométrio e começará a produção do trofoblasto.

É este trofoblasto que será responsável pela produção do B-hCG.

Porém a presença deste hormônio necessita de alguns dias para que esteja minimamente elevada e ocorra a sua detecção no sangue materno.


Por isso, necessita de um intervalo de tempo mínimo para que os exames possam confirmar ou excluir a presença de uma gravidez. E que venham muitos positivos!!!

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page